QUATRO MANEIRAS DE DEUS MOSTRAR O SEU PODER

          “Mas o SENHOR nas alturas é mais poderoso do que o bramido das grandes águas, do que os poderosos vagalhões do mar.”(Sl 93.4).

A Bíblia nos revela de Gênesis a Apocalipse que Deus é poderoso. Não há nada impossível para Ele. Deus é capaz de fazer muito além do que faz. O exercício de Seu poder só se limita onde Ele deseja limitá-lo.  Jó disse que: “O que ele deseja,  isso fará“. (Jó 23.13). O Senhor pode fazer infinitamente mais do tudo que pedimos ou pensamos (cf Ef 3.20). Para Deus tudo é possível (cf Mt 19.26).

O poder humano é derivado de elementos externos. Por exemplo: Do dinheiro, da força militar, etc.. Mas o poder de Deus é parte de Sua essência. Pertence somente a Ele, e nunca é derivado, pois não há outro além do Senhor (cf Is 44.8). É da natureza de Deus ser Todo-poderoso.

O Seu poder é a base para seus outros atributos. Sem poder, Sua misericórdia seria uma fraca piedade; Sua justiça seria impotente; Suas promessas seriam meras pronunciações e Seu amor, fraco.

Deus manifesta seu poder soberano em diversas formas em toda a Sua criação. Porém, nesse estudo nos ateremos em apenas quatro maneiras de Deus nos revelar Seu poder. E nenhum desses poderes está na mão do ser humano. Nenhum deles pode ser manipulado pelo homem. Podemos dizer que são os quatro maiores poderes do universo. Deus revela o seu poder:

1) NA CRUZ (1Co 1.18)

Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus.”

No início desse versículo temos uma conjunção. Na versão atualizada é traduzido por “certamente”(Bíblia Almeida Revista e Atualizada). Mas pode também ser traduzida por “porque”. Essa conjunção serve como uma ligação à referência de Paulo à cruz de Cristo (v.17) e dá ao versículo 18 o caráter de uma explicação. Quando Paulo escreve sobre “A palavra da cruz”, ele separa esse expressão da “sabedoria de palavras”(v.17). Embora os dois termos traduzidos por “palavra” e “palavras” tenham a mesma forma original no grego (logos), no contexto, nada têm em comum. A “palavra da cruz” aponta para um acontecimento teológico, histórico e real. Aponta para Cristo. Mas a “sabedoria de palavras” é de origem humana e contrária à mensagem da cruz. A base da pregação de Paulo não estava na sabedoria humana, mas na cruz de Cristo.

A mensagem da Cruz é loucura para os que se perdem (v.18b) – Para os gentios contemporâneos de Paulo (gregos cf v.23), o relato da morte de Cristo fora da cidade de Jerusalém era loucura. Pois, somente criminosos terríveis ou escravos degenerados eram mortos assim. Eram tão degenerados que a sentença de morte vinha dos romanos e não dos próprios judeus. Esses gentios são “os que se perdem”. O tempo verbal da expressão “para os que se perdem”, está no particípio presente. Ou seja, é uma ação que está em progresso. Não é uma pequena dúvida, é uma rejeição de Cristo e tudo que está relacionado a Ele e isso vai piorando cada dia: “e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos.”(2Ts 2.10).

Mas, para nós que somos salvos, poder de Deus (v.18c) – Os contemporâneos de Paulo pensavam que ele era tolo por proclamar o poder de Deus na fraqueza da Cruz. Para refutar esse pensamento, Paulo cita a versão grega (Septuaginta) dos textos de Isaías 29.14 e Salmo 33.10: “Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos instruídos.”(1Co 1.19). O contexto dessas passagens aponta para Israel que honrava a Deus apenas com os lábios. Deus torna nula a sabedoria dos sábios de Israel e dissipa a inteligência humana. Mas qual é o poder da Cruz? – Pecados apagados – Cristo na cruz… anulou a conta da nossa dívida..(Cl 2.14). Liberdade da condenação eterna: “… pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.”(Rm 8.1).  Nada pode nos libertar da condenação do pecado a não ser o poder de Deus revelado na Cruz (cf Rm 6.6).

Na Cruz de Cristo Deus mostrou o seu poder! A crucificação de Jesus é algo que o mundo acha loucura, mas é a manifestação do poder de Deus. A Cruz quebra qualquer argumento humano, qualquer sabedoria humana. Nossos pecados foram todos apagados na cruz. O que nos cabe diante disso é gratidão em nosso coração, abandonar esse mundo e tomar a cruz Cristo: “Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo.”(Gl 6.14; cf Mt 16.24) .

Mas o nosso Deus, o todo-poderoso, revela também o Seu poder:

2) NA RESSURREIÇÃO (At 2.32)

A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas.”

De Cristo – Na sua crucificação o Pai desamparou Jesus para que cumprisse as profecias (cf Mt 27.46). No entanto, não o deixou na morte: “não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.”(Sl 16.10). Tanto Pedro quanto  Paulo reconhecem que Jesus é o cumprimento final desse salmo (cf At 2.25-28; 13.35). O autor aos Hebreus declarou: “Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor…”(Hb 13.20). O poder de Deus é absoluto no plano da salvação.

Do homem – “sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco.”(2Co 4.14). O apóstolo confirma aos Coríntios que o Deus que ressuscitou a Jesus, também nos ressuscitará dentre os mortos. Ele diz: “… nos ressuscitará com Jesus”. Isso não significa que Jesus ressuscitará novamente, mas que ele como a primícia (cf 1Co 15.20), garante a nossa ressurreição: Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos,num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.”(1Co 15.51-52).

Com o seu poder Deus anula o poder da morte. Se a cruz aniquila o poder do pecado, a ressurreição de Cristo anula a destruição da morte. Já podemos desfrutar parte dessa ressurreição na nova vida em Cristo: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos”(1ªPe 1.3). Pelo poder de Deus temos a garantia da vida eterna. E nada mais pode nos dar esperança da vida eterna.

Deus com seu poder absoluto ressuscitou o nosso Senhor da morte. E da mesma forma Ele nos ressuscitará. Seremos transformados, livres do pecado eternamente. Que os nossos olhos estejam no Céu, certos de que Deus cumprirá sua promessa.

Ainda podemos ver que, o todo-poderoso, revela também o Seu poder:

3) NO EVANGELHO (Rm 1.16)

Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê,  primeiro do judeu e também do grego”.

Diante dos grandes sábios da época, Paulo não se envergonhava de pregar uma mensagem de Alguém que morreu como malfeitor, que era loucura para os gentios (cf 1Co 1.18). Paulo sabia que essa mensagem era “o Poder de Deus”. Por mais bonito que seja qualquer filosofia humana, não pode ser comparada com o poder que vem do Evangelho. Só ele muda vida.

O Evangelho é o poder para a Salvação (v.16b) – Paulo escreveu aos Romanos:  “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo”(Rm 10.17). Esse poder que vem do Evangelho é a ação do Espírito Santo na vida do homem. Por meio da pregação temos o poder de Deus: “Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação.”(1Co 1.21). Pela sabedoria humana ninguém conhece a Deus, mas por Sua palavra poderosa.

De todo aquele que crê (v.16c) – A salvação é imerecida; mas não é universalmente desfrutada; a fé é requerida para que aja salvação. E essa fé é dom de Deus (Ef 2.8). Assim sendo, o poder do Evangelho resgatará os eleitos de Deus sobre a terra. Paulo diz “primeiro do Judeu e também do grego”. Jesus disse: “nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus”(Jo 4.22). O Messias viria para Israel da tribo de Judá – dos descendentes de Judá viria a Salvação para Israel e para o mundo inteiro. Esse era o plano de salvação de Jesus. E esse era também a padrão missionário de Paulo. Quando visitava as cidades romanas, ele pregava em uma sinagoga sempre que possível. Paulo não negou o privilégio dado por Deus ao seu próprio povo. Mas essa mensagem salva tanto o judeu quanto o gentio.

O Evangelho é poder de Deus para transformar qualquer vida. Ao ouvir a mensagem da Palavra de Deus, o Espírito Santo com poder e graça transforma o homem pecador. A Bíblia não é um livro antigo apenas, é o Poder de Deus.

Por fim, o Deus, o todo-poderoso, revela também o Seu poder:

4) POR MEIO DA FÉ (1Pe 1.5)

… sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para revelar-se no último tempo.”

Fé segundo a Palavra de Deus significa  confiança plena na ação poderosa de Deus: “Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro.”(Sl 40.1). É a certeza e convicção: “… a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.”(Hb 11.1).

O poder que vem por meio da fé – Muito se fala hoje sobre “fé”, no entanto, alguns têm pregado sobre “uma fé na fé”. Ou seja, a fé pode fazer muito. Com isso, o poder está na pessoa e não em Deus. Depende de você. Jesus disse: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar; e ela vos obedecerá”(Lc 17.6). Jesus não está dizendo que essa autoridade é humana. Por meio da Fé, Deus salva, por meio da fé Deus faz milagre em nossa vida. Como disse o Pr Joel R. Beeke: “A fé é o canudinho onde tomamos da água da vida”.

Por meio da fé vencemos o mundo: porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?”(1Jo 5.4-5). A confiança em Deus (fé) nos faz vencedores sobre esse mundo de pecado. A nossa fé é uma resposta à vitória de Cristo. Não é uma autoajuda, mas confiança na vitória de Cristo. Você crê no poder da fé?

A fé que move montanhas é um dom gratuito de Deus. O poder de Deus age por meio da nossa fé. Por isso irmãos, exerçam a fé de vocês, creiam no impossível, pois Deus pode fazer. Confie na proteção de Deus porque Ele tem poder para proteger vocês sempre. Quando exercitamos nossa fé, nos tornamos um canal pelo qual Deus vai agir com poder na nossa família, na igreja e na sociedade (cf Mt 21.21).

Conclusão:

Por mais que pareça loucura ao homem, a crucificação é poder de Deus. Poder revelado em sabedoria. Ali na Cruz foram apagados todos os nossos pecados.

Pelo seu poder, Deus ressuscitou Jesus dentre os mortos e isso nos dá alegria e esperança. Pois temos a vitória e também a garantia de vida eterna porque ele nos ressuscitará com Jesus.

O Evangelho de Jesus é poder de Deus para a salvação. Nada pode mudar a vida do homem. Deus pode e faz isso por meio da Sua Palavra.

Por meio da fé Deus age com poder. A nossa fé não é uma “fé na fé”, mas no poder de Deus.

        Glórias a Deus pelo seu eterno poder!  Amém!

Por Rev. Ronaldo P. Mendes

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*