É CERTO O CRISTÃO ACREDITAR EM SIGNOS?

Com toda certeza você já ouviu sobre “os 12 signos do Zodíaco”. Mas você entende o que significa? Zodíaco é uma faixa imaginária do firmamento celeste que inclui as órbitas aparentes do Sol, da Lua e dos planetas Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. As divisões do zodíaco representam constelações na astronomia e signos na astrologia. E nesse estudo vamos colocar nossa atenção na astrologia que “é uma pseudociência que estuda os corpos celestes e as prováveis relações que possuem com a vida das pessoas e os acontecimentos na Terra.” Vejamos alguns dos princípios da astrologia:

  • Atribuir aos astros a responsabilidade pelo destino das pessoas;
  • Alguns astrólogos cultuam o sol;
  • Os astrólogos afirmam ter a capacidade de prever a maneira do desenvolvimento do caráter humano, bem como a morte e a causa da morte de uma pessoa. O surgimento do horóscopo tem base neste ensinamento.

A raiz desta palavra tem origem a partir da junção dos termos gregos astron, que significa “estrela” ou “astros”, e logos, que quer dizer “palavra“, “estudo“. Assim sendo, a astrologia seria inicialmente conhecida como o “estudo das estrelas”.

Algumas teorias sugerem que a astrologia teria surgido por volta do terceiro milênio antes de Cristo. E cartas estelares do Egito datam de cerca de 4 200 a.C. e, embora sejam astronômicas, não se pode afirmar que houvesse distinção, àquela época, entre astronomia e astrologia.

Cada cultura e civilização desenvolveu a sua própria astrologia, ou seja, um modelo particular de interpretação dos astros e estrelas como influência direta (e indireta) na vida dos seres vivos na Terra.

A astrologia teve grande impulso com o astrólogo britânico  Alan Leo (1860-1917). Ele a popularizou  por meio dos signos solares.

Signos e horóscopo

Uma das principais ferramentas da astrologia são os horóscopos, uma espécie de guia e oráculo, que supostamente prevê acontecimentos importantes na vida dos indivíduos.

Os horóscopos são baseados nos doze signos do zodíaco, de acordo com a astrologia ocidental: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.

Neste caso, cada signo remete a um período aproximado de trinta dias no calendário. Os signos são atribuídos às pessoas conforme a data de nascimento.

A Bíblia e a astrologia

A Bíblia nos diz que Deus é o criador e sustentador de todas as coisas (cf Gn 1.1;  Hb 1.3). É ele quem conduz sua criação. Até a vida do homem está sobre suas mãos: “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR; este, segundo o seu querer, o inclina.” (Pv. 21.1). Este texto possivelmente faz referência à soberania de Deus. Diante dele até mesmo os reis ímpios cumprem a sua vontade, mesmo não querendo fazê-la (ex: Ciro, em Is 45.1). O Senhor é quem guia todos os destinos da humanidade. Ele  é soberano e o único Senhor: “Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus.”(Is 44.6).  Sendo assim, ele é o único digno de adoração: “Não terás outros deuses diante de mim.”(Êx 20.3).

Os céus são “obra” de Deus (Sl 8.3; 19.1). Assim, as estrelas, onde supostamente se firma os signos, é parte da criação do Deus soberano. Elas têm a função de trazer ao nosso coração a admiração do poder, sabedoria e majestade do único Deus digno de adoração. Ele tem todas as estrelas numeradas e nomeadas: “Conta o número das estrelas, chamando-as todas pelo seu nome.” (Sl 147.4).

O SENHOR usou as estrelas como uma ilustração de Sua promessa de dar a Abraão uma numerosa descendência (cf Gn 15.5). Assim, cada vez que Abraão olhava para o céu á noite, ele se lembrava da fidelidade, graça e bondade do Senhor, salvador e criador dos céus e da terra. Consultar estrelas para saber o destino do homem é uma afronta a Deus.

Acreditar que a posição das estrelas influencia o comportamento humano, a ética humana ou determina o que as pessoas são, é pecado. Isso  é idolatria. “Guarda-te não levantes os olhos para os céus e, vendo o sol, a lua e as estrelas, a saber, todo o exército dos céus, sejas seduzido a inclinar-te perante eles e dês culto àqueles, coisas que o SENHOR, teu Deus, repartiu a todos os povos debaixo de todos os céus.”(Dt 4.19). Idolatria é atribuir poder divino às coisas criadas por Deus

As superstições da astrologia não têm nenhum fundamento bíblico teológico.  Conforme a Bíblia, os astrólogos idólatras, estão entre aqueles que serão queimados como palha no Seu julgamento: “Já estás cansada com a multidão das tuas consultas! Levantem-se, pois, agora, os que dissecam os céus e fitam os astros, os que em cada lua nova te predizem o que há de vir sobre ti. Eis que serão como restolho, o fogo os queimará; não poderão livrar-se do poder das chamas; nenhuma brasa restará para se aquentarem, nem fogo, para que diante dele se assentem.”(Is 47.13-14). A astrologia como uma forma de adivinhação é claramente proibida na Palavra de Deus (cf Dt 18.10-14).

Para concluirmos, com base na palavra de Deus, podemos dizer que a nossa sabedoria vem do Senhor, não das estrelas: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.”(Tg 1.5). A Palavra de Deus, a Bíblia, é o nosso guia e não os “signos do zodíaco”: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.”(Sl 119.105). Quem conduz a vida de crente não são os signos, mas o Senhor. Portanto, é pecado o cristão consultar signos para saber do seu futuro ou comportamento. Se essa é sua prática, arrependa dos seus pecados, adore e dependa somente do Senhor, criador e sustentador de todas as coisas.

 

Por Rev. Ronaldo P. Mendes; Fonte de pesquisa: O Grande Livro da Astrologia Derek & Julia Parker (Ed Ediçoes del prado); Wikipédia; significados.com.br; A Astrologia do destino, Liz Greene (Ed. Cultrix/pensamento) .

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*